Jovem morre vítima de Leishmaniose em São José do Egito; prefeitura emite nota

0
215
Esquema de transmissão da leishmaniose

Um jovem egipciense de idade não informada, identificado por Rafael de Deus, foi vítima de uma doença chamada leishmaniose. Ele estava recebendo tratamento em Recife e a vigilância em Saúde já vinha tomando as medidas necessárias no acompanhamento do caso. A leishmaniose é uma  Doença infecciosa, porém, não contagiosa, causada por parasitas do gênero Leishmania. Os parasitas vivem e se multiplicam no interior das células que fazem parte do sistema de defesa do indivíduo. Há dois tipos de leishmaniose: tegumentar ou cutânea e a leishmaniose visceral ou calazar.

A leishmaniose tegumentar caracteriza-se por feridas na pele que se localizam com maior freqüência nas partes descobertas do corpo. A leishmaniose visceral é uma doença sistêmica, pois, acomete vários órgãos internos, principalmente o fígado, o baço e a medula óssea. Esse tipo de leishmaniose acomete essencialmente crianças de até dez anos; após esta idade se torna menos freqüente. É uma doença de evolução longa, podendo durar alguns meses ou até ultrapassar o período de um ano.

A transmissão da doença acontece quando um mosquito pica um cão doente, se contamina, e quando pica o ser humano, transmite a doença. São José do Egito tem uma grande população canina solta em vias públicas, isso facilita a transmissão da doença.

A vigilancia em saúde de São José do Egito disse que já está fazendo as ações necessárias para evitar a propagação da leishmaniose em todo municipio. Esse é o segundo caso de morte em pouco mais de um ano em São José do Egito.

A prefeitura emitiu uma nota sobre, como você pode acompanar abaixo:

NOTA DE ESCLARECIMENTO
A Prefeitura de São José do Egito através da vigilância em saúde se entristece pela morte do Jovem Rafael de Deus que faleceu nesta quinta feira (31), vítima de leishmaniose visceral e se solidariza com a família neste momento de dor! O município de São José do Egito é uma área com um índice elevado de cães infectados pela doença e apesar dos esforços na realização dos testes e exames e posteriormente eliminação dos cães doentes, a doença ainda vitimiza muitas pessoas. É necessário ter ciência de que o cachorro é tão vítima quanto o humano que adoece e que quando o animal é picado pelo mosquito que está infectado este se torna reservatório da doença! Após o mosquito picar um cão doente e posteriormente picar um humano, o mesmo pode apresentar sinais e sintomas, como febre, crescimento do fígado e do baço, sangramentos, icterícia entre outros. A secretaria de saúde por meio da vigilância municipal vem realizando ações de busca e eliminação de cães doentes, e borrifação nas áreas dos casos positivos para assim eliminar o mosquito que possa estar circulando no local, para diminuir ao máximo o surgimento de novos casos! Todo ano é realizada a campanha através de testes rápidos e coleta de sangue dos cães suspeitos e através da confirmação do caso os cães são eutanasiados conforme protocolo do ministério da Saúde! Salientamos mais uma vez que a culpa não é do animal, pois o mesmo só adoece se for picado pelo mosquito infectado, e pedimos a todas as pessoas para que caso tenham algum animal que apresente algum sintoma da doença como crescimento das unhas, magreza extrema, perca de pelo e feridas no corpo, que comunique imediatamente a secretaria de saúde para que a vigilância possa proceder na investigação desse animal.
Nos colocamos a disposição para quaisquer esclarecimentos.
Secretaria de Saúde
Vigilância Em Saúde
Prefeitura SJE

(Fonte: Blog do Erbi)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here