Pernambuco ganhará duas novas unidades de conservação

0
21
Recife também está trabalhando na Semana do Meio Ambiente Foto: Leo Malafaia/Folha de Pernambuco

Por: Júlia Rodrigues e Samantha Oliveira – FolhaPE

No Dia Mundial do Meio Ambiente, o Governo do Estado promove mudanças inéditas no desenvolvimento sustentável, garantindo a proteção 22 mil hectares de caatinga em duas novas Unidades de Conservação. O bioma, que é o único exclusivamente brasileiro, terá duas novas Unidades de Conservação, que serão entregues na tarde desta quarta (05), no Parque Estadual Dois Irmãos pelo Governo do Estado. Além disso, novas medidas como a criação de um “corredor ecológico” e a entrega da sede do Unidade Gestora do Parque Dois Irmãos serão anunciadas durante o ato.

As unidade serão da Serras Catingueiras, entre Salgueiro e Cabrobó, e Serra do Giz, localizada na divisa entre Afogados da Ingazeira e Carnaíba, ambas localizadas no Sertão do Estado, buscam preservar espécies raros e árvores com risco de extinção, já que a caatinga é um dos biomas que mais sofre com o uso intensivo e mudanças climáticas. “O intuito é mostrar que ao mesmo tempo em que Pernambuco avança, existe esse cuidado com o meio ambiente, que dialoga com a sociedade e com a preservação daquela área”, explica o secretário de meio ambiente e sustentabilidade do Estado, João Bertotti.

A ocasião também inclui a entrega do prédio onde será a sede da Unidade Gestora do Parque Dois Irmãos, Área de Proteção Ambiental (APA) que chega a 1.300 hectares. Outra novidade inédita do Estado é a criação do “corredor ecológico”, que funcionará como uma área de conexão entre as cinco unidades de conservação sendo elas, além do Parque Dois Irmãos, Caetés, Refúgio da Vida Silvestre Quizanga, Miritiba e Mata da Usina São José. Por meio de reflorestamento e modificação entre espaços público-privados, o corredor será implementado para que haja comunicação entre as unidades, permitindo assim a transição dos animais e uma maior biodiversidade. “Isso faz com que o ambiente fique mais complexo e assim haja os estudos necessários”, pontua João Bertotti, “mostrando assim que existe contradição entre preservação e desenvolvimento”.

Maratona Verde

A Maratona Verde do Recife entrou no seu segundo dia com a responsabilidade de plantar 600 mudas de árvores no Hospital Pelópidas Silveira, no Curado, Zona Oeste do Recife, ontem. O objetivo da ação é plantar até o próximo domingo, 10 mil mudas em todo a Capital.

As mudas destinadas ao plantio são plantas nativas de cinco espécies diferentes. A equipe de monitoramento da ação, intercalou essas espécies em diferentes áreas do local regularizado no Hospital. A Orelha de Burro pode alcançar até 20 metros, mas em decorrência da disputa com as outras plantas, nesse local específico, ela deve crescer até 15 metros, mesma medida da Gitó. A Carolina, que é uma planta nativa da Amazônia, e também resistente à água, pode chegar até 20 metros de altura, comportamento de crescimento igual a da Amescla de Cheiro e da Leiteiro. Segundo a Engenheira Florestal, Luciana Cassimiro, as covas são feitas de acordo com o tamanho das mudas, que variam de 50 cm de profundidade a 30 cm de largura.

Com o slogan Plantar e Cuidar, um dos planejamentos da ação é criar bosques e amenizar a sensação térmica da cidade. “É um desafio grande, que foi passado para a Secretaria de Meio Ambiente de plantar em uma semana 10 mil mudas. O principal motivo para esse plantio é causar o embelezamento da cidade, a diminuição da poluição sonora, a diminuição da temperatura da cidade, não só nos locais de plantio, mas também em outros locais. Isso vai nos ajudar a ter uma vida melhor”, declarou.

Antes da seleção das áreas de plantio, um estudo foi realizado para detectar as condições específicas de cada local, dentre esses, áreas que concentram maior quantidade de ilhas de calor – regiões urbanas com grande concentração de asfalto e prédio, e que apresentam temperatura elevada -. Espaços arborizados diminuem a quantidade dessas ilhas.

Para Davi de Souza, 24, plantar traz a sensação de paz que a vida urbana, muitas vezes, não oferece. “É bom trabalhar com as plantas. Dá uma sensação de tranquilidade, sossego, elas não falam, não perturbam. Eu gosto de cuidar”, opinou o jardineiro.

Por outro lado, além da sensação de paz trazida por ambientes arborizados, Flávio José Renovato, relata que enxerga o plantio como uma ferramenta de inspiração. “Como eu nasci em um engenho, lá em Goiás, e meus pais são agricultores, eu sempre tive o costume de plantar. Aprendi com minha família. As vezes eu sento ao lado de uma árvore e reflito. A árvore inspira a pensar o que eu vou dizer nas reuniões para representar minha comunidade; É como um filho que você planta e cultiva”, disse o presidente da Associação dos Moradores de Campo Grande, na Zona Norte do Recife, enfatizando a importância da Maratona Verde para o Recife. “O plantio traz benefícios de sombra, área verde. Isso é muito importante”.

Segundo o coordenador da Maratona, a ação vai compor o calendário da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade, e todos os meses, a equipe vai realizar plantios de mudas nas áreas urbanas da cidade. A programação da Maratona Verde segue até o próximo domingo (9), com a realização de plantios nos Parques Santo Dummont e Dona Lindu, em Boa Viagem. Os interessados podem participar da ação de forma voluntária.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here