Operação nacional contra pirataria digital desativa aplicativos e sites em Pernambuco

Foram bloqueadas centenas de canais virtuais que transmitiam conteúdo de forma ilegal para obter lucro, segundo força-tarefa da Polícia Civil e do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Por João Paulo Pereira em 21/06/2022 às 08:20:17
Videogame em foto de arquivo - Foto: Altieres Rohr/g1

Videogame em foto de arquivo - Foto: Altieres Rohr/g1

Centenas de ferramentas na internet, como aplicativos, sites e canais de vídeos, foram desativadas na manhã desta terça-feira (21), pela Polícia Civil de Pernambuco, durante a Operação 404. A força-tarefa ocorre em conjunto com o Ministério da Justiça e Segurança Pública para combater pirataria digital e violação de direitos autorais.

A operação é nacional, realizada em 11 estados. Os alvos são suspeitos de transmitir conteúdo ilegalmente, pela internet, com o intuito de obter lucro. Os bloqueios realizados foram alvo de medidas judiciais expedidas pela 15ª Vara Criminal da Capital.

Foram bloqueados sites e aplicativos de streaming pirata e removidos perfis e páginas de redes sociais e de buscadores da internet. Segundo o Ministério da Justiça, os investigados capturavam o sinal de canais de televisão fechada e cobravam para repassá-los a assinantes do serviço de pirataria.

Ao todo, foram desativados os seguintes produtos no estado:

  • 366 aplicativos na Google Play Store;
  • 11 aplicativos de streaming na plataforma APPGallery;
  • 1 site nacional (gamesgo.com.br) comercializando cópias não autorizadas de jogos digitais;
  • 89 canais no YouTube violando direito autoral;
  • 134 sites divulgando, ilegalmente e com o intuito de lucro, conteúdo audiovisual.

Segundo a Polícia Civil, esta é a quarta fase da operação de âmbito nacional, que teve as investigações iniciadas em março de 2022. Nessa etapa, a Justiça autorizou que a Polícia Civil desative os sites investigados sempre que eles forem renomeados. Isso deve ocorrer por meio de ofício policial aos provedores.

O principal crime investigado é a violação de direito autoral. A pena é de reclusão, de dois a quatro anos, além de multa para quem distribui o conteúdo para obter lucro. Já quem consome pode ser condenado a detenção, de três meses a um ano, ou multa.

O nome da operação, "404", faz referência ao código de resposta do protocolo HTTP para indicar que a página da web não foi encontrada ou está indisponível.

A Polícia Civil informou que outras informações seriam divulgadas em uma coletiva de imprensa no Recife, a partir das 11h.

Fonte: Por g1 PE

Comunicar erro

Comentários