Pernambuco prevê pico da Covid-19 nos próximos 15 dias

Por: Portal FolhaPE Enquanto os √≠ndices de adesão ao isolamento social apresentam queda nos √ļltimos dias em Pernambuco, o n√ļmero de pessoas com sintomas da Covid-19 e...

Por João Paulo Pereira em 01/05/2020 às 09:55:25
Por: Portal FolhaPE Enquanto os √≠ndices de adesão ao isolamento social apresentam queda nos √ļltimos dias em Pernambuco, o n√ļmero de pessoas com sintomas da Covid-19 e precisando de internamento cresce em velocidade alarmante, sobretudo no Recife, epicentro da doença no Estado, e na região metropolitana (RMR). Diante do cen√°rio, os progn√≥sticos prev√™em dias duros j√° na primeira quinzena de maio. Isso porque o ritmo do espalhamento do novo coronav√≠rus est√° mais acentuado do que se esperava quando foram decretadas as medidas de isolamento social. Sendo assim, a previsão √© que Pernambuco tenha um pico de curva epid√™mica √≠ngreme. Na pr√°tica, isso significa mais gente doente do que a capacidade m√©dica e hospitalar suporta e, consequentemente, mais mortes. De forma did√°tica, o secret√°rio de Sa√ļde do Recife fez uma analogia para explicar o que significa esse pico epidemiol√≥gico. "Imaginemos um grupo de pessoas de v√°rias idades e diferentes condições tendo como √ļnica alternativa atravessar uma montanha. Não tem outra alternativa. Se essa montanha √© muito √≠ngreme, nem todo mundo estar√° apto a atravessar e vai ficar para tr√°s", disse Jailson Correia. "Se voc√™ tem uma curva mais suave e mais longa, permite a pessoas, mesmo com mais dificuldades, atravessar essa montanha. O tamanho do per√≠odo de maior dificuldade pode ser at√© mais estendido, mas permitir√° que mais pessoas consigam atravessar a montanha. Ou pode ser (um pico) avassalador e deixar muita gente para tr√°s", completou. O desenho da curva epid√™mica, então, depende do comportamento social. Quanto maior o √≠ndice de isolamento social, maiores as chances de os pacientes da Covid-19 terem acesso a tratamento hospitalar adequado. No cen√°rio atual, contudo, com n√≠veis de isolamento aqu√©m do indicado, as projeções para o Estado são de maior dificuldade. "Estamos em franca aceleração, crescendo cerca de 10 a 15% ao dia em n√ļmero de casos, duplicando os casos a cada semana. Gostar√≠amos muito de retardar a curva, mas ela est√° crescendo de forma muito acentuada. Dessa forma, tem a contaminação de mais pessoas e a pressão no sistema de sa√ļde. Isso acelera a chegada do pico, que trar√° dias dur√≠ssimos. A expectativa √© disso acontecer nos primeiros 15 dias de maio. Teremos muitos casos, muitas perdas de vidas, historias interrompidas", afirmou o secret√°rio de Sa√ļde de Pernambuco, Andr√© Longo, explicando ainda o tempo m√©dio de duração dessa fase. "O plat√ī (m√©dia constante de casos) que tem se visto em outros pa√≠ses dura algumas semanas, duas, tr√™s. Depois segue-se a desaceleração de casos, que tamb√©m varia em duração, at√© chegar a uma situação que pode ser chamada de controle. Nossa expectativa, infelizmente, √© atingir um pico mais precoce do que gostar√≠amos diante do cen√°rio que temos visto." Ambos, por√©m, evitam falar em colapso dos sistema de sa√ļde do Estado e do munic√≠pio no momento. "Enquanto houver capacidade de resposta do poder p√ļblico em gerar mais leitos e aprimorar o sistema para atender pessoas que vão precisar de internação, estamos correndo para tentar alcançar o crescimento da doença. Mas essa capacidade √© limitada, finita, e isso nos preocupa", disse Jailson Correia.
Comunicar erro

Coment√°rios