Na luta contra Covid-19, VigilĂąncia em SaĂșde ja sofreu atĂ© com racismo em São JosĂ© do Egito

Blog do Nill JĂșnior A de mĂĄscara Ă© Naldirene Barros , Coordenadora da VigilĂąncia em SaĂșde de São JosĂ© do Egito. Ela falou ao Debate do SĂĄbado na Gazeta FM das medidas de

Por João Paulo Pereira em 02/05/2020 às 16:19:42
Blog do Nill JĂșniorA de mĂĄscara Ă© Naldirene Barros , Coordenadora da VigilĂąncia em SaĂșde de São JosĂ© do Egito. Ela falou ao Debate do SĂĄbado na Gazeta FM das medidas de combate ao Coronavirus no municĂ­pio . A cidade aderiu às mĂĄscaras em quase 100%. Mas o maior calo, adivinha? O cumprimento das medidas de isolamento social nas filas dos bancos. O trabalho de busca pelo cumprimento da distĂąncia entre pessoas nos bancos gerou atĂ© um caso de racismo praticado por alguĂ©m que estava na fila contra um profissional da VigilĂąncia. Com apoio da equipe, a vĂ­tima do racismo prestou queixa na Delegacia, para onde tambĂ©m foi o acusado. Racismo Ă© crime tipificado no CĂłdigo Penal. Esta semana, a equipe espera que novas medidas alĂ©m das jĂĄ tomadas pela municipalidade, com tendas que protegem pessoas nas filas, melhorem ainda mais o atendimento.
Comunicar erro

ComentĂĄrios