Pernambuco não interrompe a vacinação de adolescentes contra a Covid-19

Por Irce Falcão - Portal Folha de Pernambuco Apesar de o Minist√©rio da Sa√ļde ter recuado sobre a recomendação de vacinar adolescentes entre 12 e 17 anos contra a Covid-19...

Por João Paulo Pereira em 17/09/2021 às 07:45:25
Por Irce Falcão - Portal Folha de PernambucoApesar de o Minist√©rio da Sa√ļde ter recuado sobre a recomendação de vacinar adolescentes entre 12 e 17 anos contra a Covid-19 usando o imunizante da Pfizer/BioNTech, a Secretaria Estadual de Sa√ļde de Pernambuco (SES-PE) informou, em entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira (16), que não suspender√° as aplicações nesse p√ļblico at√© que a Ag√™ncia Nacional de Vigilância Sanit√°ria (Anvisa) se pronuncie oficialmente. De acordo com o titular da SES-PE, Andr√© Longo, os órgãos que representam as secretarias de Sa√ļde estaduais (Conass) e municipais (Conasems) enviaram documento para a Anvisa solicitando uma posição do órgão a respeito do assunto. "Fomos pegos de surpresa com essa informação da suspensão. O Conass e o Conasens fizeram um documento para a Anvisa, que √© o órgão que regulamenta o uso de vacinas no Brasil. E a Pfizer tem registro definitivo de uso no Brasil. Quem pode se manifestar (sobre a suspensão) √© a Anvisa e, at√© agora, não houve nenhuma recomendação. Então, Pernambuco segue a vacinação", disse Longo. Segundo ele, a decisão anunciada pelo Minist√©rio da Sa√ļde não foi tomada de forma tripartite, com a participação da pasta federal, do Conass e do Conasens, al√©m da Câmara T√©cnica do Programa Nacional de Imunizações (PNI). "Infelizmente, o Minist√©rio da Sa√ļde, sem combinar com os estados e munic√≠pios, fez esse comunicado de forma apressada. Justo no dia em que a própria Sociedade Brasileira de Pediatria se manifestou favor√°vel à vacinação. Realmente, pegou a todos de surpresa", comentou o secret√°rio de Sa√ļde de Pernambuco. "V√°rios estados estão at√© revoltados com essa postura levada a p√ļblico pelo MS quando, na verdade, devia ter sido feita uma reunião, ouvido a Câmara T√©cnica do PNI e submeter as informações à Anvisa, que foi quem autorizou o uso da vacina Pfizer nesse p√ļblico de 12 a 17 anos." Andr√© Longo detalhou ainda que, no Brasil, cerca de 3,5 milhões de adolescentes j√° receberam a primeira dose da vacina contra a Covid-19, tendo sido registrados 1.500 efeitos adversos. "√Č um √≠ndice muito baixo. E a maioria foram casos leves", pontuou, afirmando que um caso suspeito mais grave ainda não pode ser atribu√≠do à vacina sem que haja devida investigação. "Não h√° espaço para decisões pol√≠ticas no PNI. Isso (suspensão) √© uma decisão t√©cnica. Havendo tecnicidade nas decisões, elas serão seguidas", afirmou, revelando ainda que alguns adolescentes foram vacinados, de forma equivocada, com os imunizantes AstraZeneca/Oxford/Fiocruz e CoronaVac/Butantan. "Esses casos devem ser tratados de forma espec√≠fica. Com a Pfizer, temos segurança. Essas outras vacinas não devem ser utilizadas (no p√ļblico de 12 a 17 anos) e os que tomaram devem ser acompanhados." "A vacina da Pfizer √© autorizada nos EUA, em grande parte da Europa. Como todo medicamento, as vacinas t√™m eventos adversos, que vão de leve a mais grave. Qualquer evento adverso mais s√©rio precisa ser investigado. A informação que temos hoje √© que a vacina da Pfizer √© segura para ser usada em adolescentes. Estamos aguardando a posição da Anvisa. Mas queremos reforçar a segurança do que estamos falando, baseado em evid√™ncias sólidas. Outra ressalva, a OMS continua preconizando a vacina da Pfizer para adolescentes", reforçou o representante da Sociedade Brasileira de Imunizações em Pernambuco, Eduardo Jorge. O cen√°rio que agora envolve a vacinação dos adolescentes gera temor nos gestores pernambucanos em relação a uma evasão nos postos de imunização. Segundo Andr√© Longo, que j√° havia se pronunciado sobre uma baixa procura desse p√ļblico, existe uma dificuldade natural nessa faixa et√°ria, que √© a depend√™ncia de um respons√°vel para poder receber a vacina. "Qualquer ru√≠do de comunicação com esse p√ļblico gera incerteza e pode atrapalhar o avanço. Numa campanha de vacinação como essa, na qual queremos atingir 90% de cobertura, qualquer falha de comunicação pode afastar as pessoas do propósito de atingir metas. Quem ganha com isso são as pessoas contr√°rias às vacinas", concluiu. Para esta sexta-feira (17), est√° prevista reunião com os membros do programa de imunização em Pernambuco, junto aos secret√°rios municipais de Sa√ļde para abordar a tem√°tica.
Comunicar erro

Coment√°rios