Inflamação no intestino: veja o que causa e como tratar a diverticulite

Aus√™ncia de fibras e pouca ingestão de √°gua estão entre as causas, al√©m do envelhecimento natural

Por João Paulo Pereira em 12/09/2022 às 07:28:19
Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

Com o avançar da idade, é natural que o corpo v√° perdendo algumas funções ou v√° ficando mais suscetível a algumas doenças. Uma delas é a diverticulite, inflamação no intestino bastante comum em idosos, mas que pode ser "antecipada" em pessoas que não tenham o h√°bito de comer fibras.

Na medicina, palavras terminadas com o sufixo "ite" indicam inflamação. No caso da diverticulite, é uma inflamação dos divertículos, que são pequenos sacos localizados na parede interna do intestino, conforme explica o gastroenterologista Tibério Medeiros, do Hospital Jayme da Fonte.

"A presença de divertículos em grande quantidade no intestino recebe o nome de diverticulose. Quando esses saquinhos inflamam, chamamos de diverticulite. Esse processo infeccioso costuma acontecer quando uma pequena quantidade de fezes fica retida, causando um desequilíbrio das bactérias", detalhou.

H√°bitos que ajudam

Um dos motivos que pode provocar o acúmulo de fezes é uma dieta alimentar pobre em fibras, a baixa ingestão de √°gua e o sedentarismo. "As fibras não conseguem ser digeridas e acabam estimulando o intestino a funcionar melhor, contribuindo para que as fezes sejam eliminadas mais rapidamente", explica.

E uma boa quantidade de √°gua ajuda na hidratação das fezes, evitando o seu ressecamento. "Quando as fezes ficam ressecadas, elas t√™m mais dificuldades para sair, e isso aumenta o risco de elas ficarem acumuladas", completa o especialista. J√° a pr√°tica regular de atividade física ajuda a manter os movimentos regulares do intestino, o que garante um bom funcionamento do órgão.

Tratando os sintomas

Os sintomas da diverticulite são bem parecidos com os de outros processos infecciosos da barriga, como dores, n√°useas, vômitos e febre. "Em geral, o paciente costuma referenciar a uma dor na parte de baixo da barriga", comenta Tibério.

Segundo o gastroenterologista, quando o paciente faz o uso das medicações analgésicas convencionais para as dores, e elas persistem, é um sinal de alerta. "Se as dores continuam após a medicação, é o momento de buscar assist√™ncia especializada", alerta Medeiros, que complementa: "O tratamento costuma envolver antibióticos, repouso e muita hidratação. Nos casos mais leves, antibióticos orais, cuja administração pode ser feita em casa. Em casos moderados a graves, pode ser necess√°rio um internamento hospitalar para fazer uso de antibióticos venosos." Cirurgias ou outras situações podem ser indicadas, mas em uma pequena quantidade de casos.


Fonte: Por Marjourie Corrêa - Folha de Pernambuco

Comunicar erro

Coment√°rios