Jovem pernambucano é aprovado em nove universidades dos Estados Unidos

Por Fabio N√≥brega - Portal FolhaPE O pernambucano Fred Ramon, de 20 anos, tem um curr√≠culo extenso de aprovações em universidades americanas. Ele conseguiu passar em nove...

Por João Paulo Pereira em 14/07/2021 às 12:48:41
Por Fabio N√≥brega - Portal FolhaPEO pernambucano Fred Ramon, de 20 anos, tem um curr√≠culo extenso de aprovações em universidades americanas. Ele conseguiu passar em nove instituições e pretende entrar no curso de Ci√™ncia da Computação e Estudos Globais da Whittier College, em Los Angeles, na Calif√≥rnia. Morador do bairro de Cajueiro Seco, em Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife, Fred agora espera respostas de fundos de investimentos para estudantes estrangeiros para saber se começa o curso em agosto deste ano ou em janeiro de 2022. A educação foi o agente transformador que Fred encontrou para ajudar a realizar seus sonhos. Ele conta que, ap√≥s um per√≠odo trabalhando como instrutor de dança em um cruzeiro em Dubai, voltou ao Brasil e começou a procurar como ingressar nas universidades americanas. "Fiz os testes e comecei a me preparar para a candidatura. Temos que fazer uma redação que tenha a ver com nossa hist√≥ria. Precisei de ajuda dos professores da escola para escreverem cartas de recomendação e tamb√©m contei a minha trajet√≥ria fora da escola, fora do Ensino M√©dio", explica Fred. Ligado a movimentos sociais desde a adolesc√™ncia, Fred conta que as instituições avaliam o aluno não somente pelo curr√≠culo escolar, mas tamb√©m pelo impacto provocado fora das salas de aula. "Essas atividades foram o destaque que as universidades abriram os olhos quando mandei minha inscrição. Foi o que realmente fez toda diferença para eu ser aprovado", acrescenta o jovem. Fred concluiu o Ensino M√©dio em 2018, na Escola Estadual Professor Fernando Mota, em Set√ļbal, na Zona Sul do Recife. Enquanto se preparava para as inscrições nas universidades americanas, ele ajudava com a renda de casa dando aulas online de ingl√™s. Ele mora com a mãe, que √© faxineira, e o irmão mais novo, de 17 anos. "Fiz as inscrições, preenchemos o formul√°rio e enviamos para as universidades. Fiquei esperando os resultados. Escolhi a Whittier College porque foi a faculdade que me deu a maior bolsa de estudos", completa Fred. A faculdade californiana tamb√©m ofereceu ao jovem opções como work and study (trabalhar e estudar), em que teria uma renda para ajudar a pagar, e empr√©stimos. O jovem lembra que a sua missão √© chegar aos Estados Unidos e conseguir extrair algo para ajudar o Brasil. "Eu quero mais que os jovens de baixa renda e negros como eu consigam ter mais acesso a essas oportunidades e se interessarem para fazer o que estou fazendo. Eu tinha na minha mente que eu precisava seguir um grande sonho", diz. "Desde 2017, tenho dito que iria me preparar para o processo de vestibular dos Estados Unidos. Não imaginava que eu iria ser aprovado, eu estava em casa dentro do quarto, estudando de 8 da manhã às 6 da noite todos os dias, mais de mil horas. Vou dar o meu melhor, meu objetivo √© ser aprovado", lembra o jovem.
Comunicar erro

Coment√°rios