Sa√ļde confirma terceira dose da vacina para idosos acima de 70 anos e antecipação da segunda

Por Ag√™ncia Brasil O ministro da Sa√ļde, Marcelo Queiroga, confirmou em entrevista coletiva nesta quarta-feira (25) a aplicação de uma dose de reforço da vacina contra a...

Por João Paulo Pereira em 25/08/2021 às 20:19:07
Por Ag√™ncia BrasilO ministro da Sa√ļde, Marcelo Queiroga, confirmou em entrevista coletiva nesta quarta-feira (25) a aplicação de uma dose de reforço da vacina contra a Covid-19 para idosos acima de 70 anos. Outra medida aprovada pelo minist√©rio e pelas secretarias estaduais e municipais de sa√ļde √© a antecipação da segunda dose em alguns casos. A chamada "dose de reforço" ser√° aplicada em quem tomou a segunda dose h√° cerca de seis meses. As pessoas começarão a receber a proteção adicional em setembro. Os integrantes da pasta não adiantaram a data. O intuito √© fortalecer a imunidade dessas faixas et√°rias diante do crescimento da circulação da variante delta. "Nos pa√≠ses onde a variante tem transmissão comunit√°ria tem havido maior problemas nos idosos e naqueles que não foram ainda vacinados. Vacinando os idosos com este reforço teremos proteção adicional", disse na entrevista o ministro da Sa√ļde. As pessoas com dificuldades no sistema imunol√≥gico, denominadas "imunossuprimidas", tamb√©m serão convocados para a dose de reforço. Neste caso, a diferença entre a √ļltima dose e a de reforço ser√° de 28 dias. Estão neste grupo, por exemplo, pessoas com HIV e transplantados. O presidente do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Sa√ļde (Conasems), Willames Freire, defendeu a medida. "Vamos trabalhar obedecendo a ci√™ncia e as orientações t√©cnicas do PNI [Programa Nacional de Imunização]. Se neste momento est√° orientando vacinar acima de 70 anos com a dose de reforço √© porque as evid√™ncias nos indicam que este p√ļblico est√° mais vulner√°vel", opinou. O imunizante utilizado ser√° o Pfizer. "Vamos fazer com vacina da Pfizer porque ela foi testada em regimes de intercambialidade [uso de diferentes marcas em distintas doses], porque est√° aprovada na maioria das ag√™ncias sanit√°rias do mundo e porque o minist√©rio se programou para adquirir uma quantidade expressiva e tem chegado em tempo que nos d√° segurança", justificou Queiroga. Segundo o secret√°rio executivo da pasta, Rodrigo Cruz, at√© o fim de agosto a previsão √© de disponibilização de 80 milhões de doses. Cruz acrescentou que at√© o meio de setembro o Minist√©rio da Sa√ļde quer atingir a imunização de toda a população adulta com a primeiro dose.AntecipaçãoA C√Ęmara T√©cnica do PNI tamb√©m decidiu pela antecipação da segunda dose das vacinas da Oxford/AstraZeneca. Em vez de tr√™s meses, o intervalo entre as duas doses ser√° de dois meses. J√° a antecipação da Pfizer ainda est√° em estudo. A medida foi adotada com o prop√≥sito de tentar alcançar a meta de aplicar a segunda dose em todos os brasileiros adultos at√© o fim de outubro. At√© hoje, 35% das pessoas com mais de 18 anos completaram o ciclo vacinal no pa√≠s.
Comunicar erro

Coment√°rios